Londres

06/06/2019
Não tomei café no hotel ibis Styles Kensington porque dormi até bem tarde, sei que saí do por volta das 13h. Procurava um lugar para comer, já que não tomei o café no hotel. Achei o Il Posto Restaurante Italiano na Vauxhall Bridge 316a, fique um pouco receioso de entrar, mas finalmente entrei, porque tinha aquelas libras todas no bolso pra gastar. Pedi uma salada mista e um negócio que achei que era carne, mas era filé de frango com macarrão. Ok,es tava muito bom, juntamente com as 3 cervejas (33 cl) que tomei. Por volta de £ 3 a cerveja, boa, italiana, long neck. Gostei. O cara do restaurante, um italiano, gente fina, disse que tem um parente que mora em Copacabana … Agradeceu em português, obrigadinho! Aí fui pra Victoria Embankment, Cleopatras Needle’s e mais além, mas não muito. Parque Saint James, Waterloo Bridge. Peguei o metro em Temple station até Earl’s Court, fui no Sainsbury’s nas proximidades do hotel. Comprei rum, suco, salada de frutas, sanduíche, chocolate, cerveja. Fui dormir, mais de 2:30 pensando como Londres é maravilhosa.

07/06/2019
Hoje não ia acordar cedo mesmo, coloquei pra despertar às 9 pensando em tomar café, mas o sono era muito e fiquei até … a infeliz da governanta bater na porta do quarto ! Caralhos, meu check out era só ao meio-dia! 10:20 fui lá, tomei banho, escovei dentes, fiz barba, etc e tal. Às 11:30 desci pro check out e fui pra Earl’s Court, jamais esquecerei … As moedas velhas não valem nada … Comprei o ticket de metro e fui pra Victoria Station debaixo de chuva, fina, mas chuva. Ah, tá! Sobrou rum e suco, misturei tudo na garrafa do Bacardi Carta Blanca e enfiei na mala. Tá, peguei o metro, desci na Victoria e fui procurar Il Posto. A chuva ora afinava, ora engrossava, mas achei, entrei e pedi uma carne … Tinha um pão embaixo e alguma coisa parecida com patê por cima, mas comi, só deixei a batata que está me enjoando. Paguei £ 36 e saí atrás da National Express pra comprar passagem pra Luton, dei um monte de voltas, com chuva no lombo, até que achei o lugar pra comprar, às 14 pra Luton. Agora, o problema era achar a Coach Station. Ontem dei um milhão de voltas e sempre acabava nela, hoje que preciso, não faço nem ideia onde a maldita se encontra, mas fui fundo, perguntei a uma mulher que me disse: rigth down, misericórdia, o que seria isso? Enfim, achei. Paguei £ 14 no cartão pelo ticket e fui pro portão 10. O horário de 14:00 se transformou em 14:20. Ok, finalmente saiu. Chegou no aeroporto de Luton às 16. Dei uma volta, achei o banheiro, achei a informação do ônibus, fui pro lugar, T se não me engano, paguei £ 1,50, a nota de £ 5 que tinha não valia mais e fui … O ônibus tava lá quase saindo. A merda é que não falei pro motorista, como a bilheteira me dissera, que desceria nos hotéis. Boca aberta, como sempre, vi o ibis passar … E não fiz nada; ele continuou e foi pra estação do ThamesLink, aí que fui falar com o motorista: return to ibis hotel? O amigo me deixou ficar no ônibus e me deixou na parada do ibis. Hotel bom, moderninho, super atencioso. Subi pro quarto 383, no elevador um francês pediu desculpas por ter falado francês e não inglês, como se eu tivesse entendido. Ele era da França, eu disse que iria para Reikjavik … E só! Bom, depois de ter escrito tudo isso, agora são 19:05, vou descer pra comer e beber algo no restaurante do hotel. Seja o que Deus quiser! Comida ótima, gostei, até repeti os onion rings, deliciosos. £ 28,95, a Guiness pint por £ 5,25 cada! Fiquei enrolando mais um pouquinho por ali e logo subi pro quarto. peguei no sono jogado sobre a cama … Eram mais de 2 horas da madrugada quando acordei meio assustado! Demorei pra dormir por causa dos travesseiros, que odeio, e por respirar somente pela boca, o que me deixa com ela completamente seca. Mas dormi, graças a Deus!

08/06/2019
Acordei às 11 horas. Ao meio dia em ponto saí em direção ao terminal Luton pra medir o tempo necessário de caminhada – exatamente 10 minutos! Que ótimo. Assim, não precisarei madrugar mais do que faço em Curitiba! Embarque começa às 6:20, então, deverei estar lá até 5:30, no máximo. Deixar tudo pronto e sair do hotel às 5!
Levei mais 10 minutos pra voltar, vento frio, alguns chuviscos. Descobri que o restaurante só abre às 18. Fui comer alguma coisa do bar, pedindo caesar salad e uma cidra, que nunca tinha tomado. £ 9,85. Perto das 14 subi pro quarto, mas o cartão magnético não funcionou e tive que descer. Bom, são 15:19… Vou arrumar tudo, escrever, quem sabe meu artigo e dar uma olhada em Reykjavyk na internet
21:28 – não escrevi artigo nenhum, nem coisas da Islândia na internet. Simplesmente arrumei minhas coisas todas, tomei banho e desci pra jantar mais ou menos 19:30. Comi o mesmo peixe com arroz de açafrão, ervilha e brócolis, onion rings e duas Guinness. Paguei a conta de £ 26,20 mais 1,50 de gorjeta. Subi 20:33. Deixei o relógio pra despertar 4:30 pra conseguir chegar às 5 no terminal. Acho que ta tudo pronto! Sobraram £ 30 e uns quebrados; £ 15 antigas e sem valor das viagens anteriores. Tudo bem, sou a cara da riqueza! Expectativa para amanhã!

09/06/2019
Acordei 4:30. Fiz o que tinha que fazer, saí do hotel por volta de 5:15. Cheguei bem a tempo de fazer tudo. Não teve passaporte e na fila do drop bag a moça mandou eu ir direto pro raio x sem despachar mala. Voo atrasou 30 minutos, saindo 7:20 de Luton.
Não marquei as horas em que as coisas aconteceram, pousamos 9:51 de Londres, 8:51 de Reykjavik. Passaporte, ok, tudo muito rápido, mais um carimbo. Troquei £ 30 que sobraram e € 150. No total fiquei com 23.408 koroas islandesas. Eram 9:13
Fui parado pelos customer, me pararam quando saí do banheiro, procurando pela GrayLine. Pediu para acompanhá-lo, de onde eu era, de onde vinha, o que fazia, quantos dias ia ficar, pra onde ia depois, passou a mala no raio-x, pediu para eu abri-la e revistou item a item, tudo, não deixou passar nada. Havia um superior a quem se reportava, e entendi que disse que vim sozinho e só. Fiquei esperando mais uns minutos, respondendo que trabalhava numa cooperativa médica, estava em férias de 30 dias, ficaria 4 noites e seguiria para a Espanha de onde voltaria para o Brasil. Agradeceram e me liberaram, sei lá uns 20 minutos.
Agora vou atrás da GrayLine. No balcão de informação me indicaram a mulher de colete amarelo, verde, não lembro. Falei com ela que pediu-me pra voltar ali dentro de 30 minutos. 10:02 fui lá, e ouvi outra moça perguntando pelo ônibus, simplesmente fiquei esperando pra seguir ela, e no fim eu que acabei mostrando o caminho. A vergonha dessa vez é que não entendi bulhufas do que a guria da Gray me perguntava, acho que ele queria saber pra onde eu ia, sei lá, fiquei quieto que nem uma múmia por não conseguir processar o que ela falou. 10:30 partiu em direção a cidade, até o terminal da GrayLine, na área do porto, onde descemos e ocupamos 3 vãs em direção aos respectivos hotéis. Demorou um pouco pra me colocarem numa das vãs. Saímos pouco depois de 11:20. Passei mais uma vergonha por não entender o que o motorista disse: eu já estava praticamente na frente do hostel e continuava sentado e atado ao cinto da van, quando ele voltou com minha mala e perguntou se eu não ia pro hostel! Que vergonha! Andei uns 30 metros e dei de cara com a porta amarela, digitei o código enviado por e-mail, subi as escadas, deixei a mala num canto e saí pra andar no sentido no qual a van viera, margeando a água, a baia, sei lá. Passei pela Harpa, e segui até um pouco mais, voltando em 30 ou 40 minutos.

Vi vários restaurantes no caminho, mas acabei ficando num do lado do Centric, o Jómfrúin. Por dois meio sanduíches paguei € 26,11 e € 10,55 por cada cerveja local de 0,4 l. Em boa koroa islandesa isso dá 7.610 e ainda a verificar se não incluiu a gorjeta de 754 porque não fiquei com a via do cartão. Eram 14:42. – não, a gorjeta não foi cobrada!
Fui pro Centric. Com o código entrei, peguei as chaves, um mapa e um jornal, subi pro 3° andar. Arrumei as coisas e me deitei por algumas horas! Até às 20, mais ou menos. Saí novamente, na direção oposta de Harpa, num parque muito bonito, um belo lago, patos, cheio de gatos, museu de arte, uma igreja, contornei o lago e saí na prefeitura, aquela da foto com a pedra. Continuei caminhando na rua do comércio mais movimentado, passei próximo da igreja do vulcão e voltei. Já perto do Centric entrei num bar, sentei e fiquei esperando, como não vinha ninguém atender, saí e dei de cara com o mercadinho, onde comprei lasanha, pepsi, dois muffins e um suco pro café amanhã, pagando a bagatela de 2.495 krones. Esquentei no Centric, já que tem uma cozinha com microondas, geladeira, mesa, cadeiras, cafeteira – Centric é muito banaca, perto de tudo, bem localizado; uma grande surpresa que gostei muito e recomendo. Já passava de 22:00. Tomei banho e continuo aqui a escrever, são 00:37.

Londres é uma festa

Em 5/6/2019 meu despertar foi às 8 horas, porém resolvi ficar até às 9:18. Desci pro café, a funcionária me falou alguma coisa que não entendi. Algo como encerrou … Sei lá, fiquei bem quietinho e ainda thank you so much! Ahahaha.

Subi, peguei meus bagulhos e perto de 10:15 tava na rua. Jesus misericordioso e altaneiro, nunca caminhei tanto como hoje, cheguei dolorido no hotel às 19: Cronwell Road, Kensigton Road, Imperial College Road. Hyde Park, The Serpentine, Grosvernor Place e Garden, Buckingham Palace, Belgrave, Victoria Station umas 10 vezes, Parliament, Westminster Bridge, London Eye, Jubilee Gardens, Jesus amado! E voltei tudo isso! Comi um fish and ship detestável, voltei, passei no Sainsbury’s pra comprar uma salada, cervejas, gin, suco, iogurte que deu £ 16,65 no cash. Às 19 estava no hotel, tomei banho e bebi, vi o Pequeno e adorável Sheldon, agora to aqui a dedilhar estas asneiras todas … 22:56 não decidi o que fazer amanhã …

De Praga pra Londres

Rio Vtlava em Praga

Noite difícil, dormi bem pouco, às 5 horas já tinha acordado! Fiquei até 7:20 na cama, tomei banho, tomei um café com pão, queijo, salame, iogurte. Minhas coisas já estavam todas arrumadas, então saí no horário que queria. Paguei 195 krone do minibar do hotel. Peguei o metro … E fui até Florenc, baldeando pra linha Vermelha, que me deixou na estação de trem. Tudo muito rápido. Voo atrasou meia hora, saiu 12:50, chegando por volta 13:40, lembrando que o fuso horário de Londres são 4 horas a mais e não 5 como em Praga. Estou no National Express indo pra Victoria Coach Station. Queria dizer que fiquei mais de meia hora na fila do passaporte, em que perguntaram-me: quantos dias ficaria, o que fazia no Brasil, pra onde ia, de onde vim, que tipo de projetos eu fazia, qual sistema de saúde. Muito demorado o interrogatório com vários cidadãos que não tenho nem ideia de onde eram, mas passei. Saí de lá, peguei a mala, tirei a mochila, e fui procurar o ônibus, achei e caí de costas quando vi que a passagem era £ 28. Mas não vendia no ônibus como estava escrito no painel no ponto de embarque, então voltei no saguão e comprei na balcão, pagando só £ 8. Horário de saída 15:15 não rolou, passaram pelos menos 4 ônibus, e nenhum era o meu. Deve ter saído 15:30, parando muitas vezes, sem ninguém subir ou descer, por isso chegou na estação às 17:25, além da chuva que foi constante em todo o trajeto e deve ter ajudado na demora. Quando me aproximava da estação, reconheci um prédio da vez que fui ver Billy Elliot, me sentindo em casa. Desci, andei um pouco atrás das placas, comprei um sanduíche e uma Pepsi, pagando £ 4. Enfiei na sacola, saí da Coach Station seguindo as placas, encontrando facilmente Victoria Station, porque são muito próximas. Olhei num mapa de tube e vi que eram só umas duas ou três estações para Earl’s Court, agora era descobrir como funcionava… Pedi informação para uma funcionária e achei bem facilmente. O dilema era comprar, mas um funcionário me ajudou e, pronto, ticket na mão. Desci para pegar District Line, mas pedi mais uma informação pra outro funcionário que me disse que o trem era aquele ali na minha frente. Muito fácil e 4 estações depois, descia em Earl’s Court, que ninguém reconheceu minha pronúncia dessa estação. Que maravilha, saí na frente da estação e a rua do hotel era só atravessar e caminhar mais uns 5 minutos. Meu Deus, como foi fácil, até eu fiquei espantado. Tube a £ 4,90 passagem simples. Cheguei 18:10 no ibis. Subi, arrumei as coisas … Fui procurar algo pra comer, não senti firmeza em entrar nos restaurantes e fui dar com os costados no Sainsbury’s de … De … Que ano vim aqui? Nem lembro mais! Enfim, comprei presunto, aqueles enroladinhos de japoneses, suco de limão e um vermouth baratinho pagos no Visa a £ 15,35. Isso já era 21:16. Como é pertinho do hotel, não devo ter demorado muito pra chegar … Fiquei até às 2 acordado!

Praga, 03/06/2019

Fiquei até 2 e tanto da madrugada vendo a série da Netflix e, claro, quis ficar dormindo em vez de tomar café. Despertei às 9, coloquei a plaquinha de não incomode e continuei dormindo até quase 11:20. Esta noite estava cheia de mosquitos, ou seja lá o que forem aqueles bichinhos, o calor era infernal, nada adiantavam as janelas abertas, foi difícil pegar no sono.

Tomei um café no quarto, daqueles solúveis e achei que poderia me aventurar pelo Castelo de Praga. Ledo engano, porque o sol estava escaldante! Passei pela Palackeho Most, entre no Novy Smichov, tudo para disfarçar aquele calorão. Saí do shopping procurando sombra, sombra, sentando-me em qualquer sombrinha em qualquer lugar. Infernal, essa Praga é uma praga de tanto calor, ô solzinho escaldante!

Fui até um pedaço, mas não resisti e acabei comendo no Narodni, um pedaço de porco muito gostoso a 405+60 de gorjeta, tudo no cartão. Caminhei, caminhei, caminhei e cheguei no Billa da Namesti, aquela perto do hotel. Comprei 2 cervejas, um sanduiche, um metropol, uma batata frita e um iogurte a 245 krone. 15:03 paguei, então cheguei no hotel 15:20, no máximo. Comi uma metade do sandwich, tomei todo o Metropol, comi as batatinhas … Dormi um pouco, vi a Netflix até acabar a temporada 1, tomei banho e saí pensando em não comer, só andar, andar, andar, mas o calor na caminhada é infernal; não aguentei, andei pouco, voltei já eram 22:00.

Passei no Albert porque o Billa já estava fechado e comprei uma salada apimentada pra caralho pra passar nas bolachas e mais um Metropol, que importaram em 144 krones. Perto de 22:20 cheguei no hotel e fui dar jeito em arrumar a mala para Londres. Fiz isso enquanto sorvia Metropol e teclava e falava com Jurandir no Whatsapp. Antes das 23 já estava com tudo feito. Continuei no Metropol, comi bolacha com o cu ardendo pela pimenta e vim escrever. Agora 00:09.
Fiquei acordado até mais de 2 vendo Netflix.

Praga, 02/06/2019

Tomei café, voltei pro quarto e dormi por mais uma hora. Saí em direção a ponte velha dos trens e descobri uma igreja no alto da colina, muitas fotos. Estava muito quente, sol forte, 28°, procurava andar pela sombra pois não aguentava aquele calor e todo o suor.

Fui parar no Narodni e comi uma salada não tão boa e uma coxa de pato não tão boa também. Paguei 502 e 60 krone de gorjeta. Não aguentando aquele sol todo, procurei um mercadinho na Karlovo Namesti e comprei 5 cervejas e um aperitivo por 194 krone.

Antes de 15:30 estava no hotel. Tomei todo o Metropol assistindo ao Navio Espanhol. Saí 19 e tanto e fui ao Coloseum “comemorar” meu aniversário. Gastei 845 mais 80 krone. Voltei pro hotel já eram 22:00. Ninguém me cumprimentou pelo aniversário, além de Jurandir, Irene, Franciele, Leandra.
Voltar a ver o filme na Netflix … 23:12 agora!

Praga, 01/06/2019

Realmente, não tenho certeza se vale a pena comprar o café da manhã dos hotéis, qualquer um deles… É que hoje não estava a fim de tomar café, então, não desci e fiquei no quarto até quase meio-dia. Iria pro Letná e foi o que fiz. Antes, almocei no Piknik, aquele na beira de um riacho, só que fiquei no interior do restaurante, porque fora tinha muitas árvores e o pólen me mata de tanto espirrar. Paguei 745 krone no Visa mais 80 krone de gorjeta. Aí, fui pro Letná. Muitas fotos depois, parei no Narodni pra jantar por 745 krone no Visa. Comprei um suco de laranja por 35 krone num china qualquer para misturar com a vodka.

Praga, 31/05/2019

Acordei 9:11. Fui tomar café com pão, linguiça e ovo frito. Voltei pro quarto, tomei banho, arrumei a mim e as coisas e saí mais de 10 horas. Desci pela Karlovo Namesti a direita numa rua que não sei o nome …, mas fui sair na Namesti Miru, aí quando vi, depois de andar por várias ruas que não conhecia, saí em frente a Hlavni nadrazi, não nela. Passei pela embaixada grega e a foto contra o muro repleto de era é lá. Passei por um parque antes disso, depois vejo os nomes… Pra dizer a verdade, na rua que andei o tempo todo, se prestasse mais atenção veria que era paralela a rua do meu hotel! Fiz voltas desnecessárias, mas não tem probrema, sô a cara da riqueza!

Quando achei que estava perdido, dei de cara com o Narodni Muzeum, então segui uma ou outra placa pra sair bem onde eu queria, ali na estação Mustek, local da New Yorker, C&A e outras. Entrei pra ver se tinha casaco, porém não é mais temporada. Voltarei pra pegar umas camisetas… Tenho que ver se em Madrid não tem New Yorker. Parei na O2, não tinha ninguém pra atender e saí.

Até chegar no Pivovar Narodni, onde comi aquele joelho de porco descomunal com 4 cervejas, 672 krone no Visa, mais 100 krone de gorjeta ao garçon. 20 krone para um homem na rua com um cachorro de chapéu. E já na beira do Vtlava paguei 370 krone por uma vodka e 40 krone por uma coca num china ladrão, que ainda por cima pegou 50 krone como se fosse 10! Reclamei e o corno me devolveu mais 40 krone. Aviso: não compre nos china, eles roubam e trapaceiam … Desvie desses infelizes.

Resultado de tudo isso é que cheguei no hotel perto de 16 horas, misturei a vodka com a coca anterior, gelada, liguei a tv no canal de música e me joguei na cama, claro, dormindo por umas duas horas. Tomei outro banho e um café pra despertar. Agora, 19:39, pensando aonde vou me enfiar … Não dá pra ficar socado no quarto novamente! Vou caminhar, vou ver aonde vou parar … 

Bem, perto de 20:15 saí do hotel, descendo a Vysehradská em direção a Karlovo Namesti, andando pela Rasinovo, margem do rio, observando o movimento de muitos jovens que enchiam a margem, os barcos-bares … Muitos levavam suas garrafas de vodka e seja lá mais o que for, várias moças com suas próprias garrafas. Completamente lotada a margem do Vltava, centenas de jovens bebendo, fumando, dançando, vi um casal, que me pareceu lésbicas, dançando uma dancinha de foda! Enfim, c… de bêbada não tem dono! Fui no Novichy Smicov numa loja da O2 e outra da Vodafone, mas ninguém sabia da po… do cartão SIMM pra Europa; fod…, vou continuar como estou. E, finalmente, cheguei no Coloseum da Andel. Comi risoto de arroz negro com camarão, gosto agridoce, muito bom e 2 Staropramen Smichov extra de 0,40. Paguei no Visa 476 krone deixando 0,60 de gorjeta pro garçom. Muito bom. Também vi uma loja de roupas esportivas no início da Lidická, pode ser que encontre o casaco que estou procurando pra ir pra Islândia. Às 22:06 saí do Coloseum, tirei várias fotos do rio, cheguei no hotel perto de 23:00. Agora 23:29.

Praga, 30/05/2019

Celular despertou às 9, me enrolei um pouco, desci pro café umas 9:20. Em vez do rio, fui pro lado contrário, saindo na rua Sekaninova, um parque com um rio no meio, uma grande ponte a frente, depois voltei pelo mesmo caminho, ou quase, fui dando umas voltas e mais voltas, até que vi a placa do Dancici Dum … Pronto, me achei, e fui na Rozhlena, isto é, nos restaurantes do monastery, sabia que o Strahovy St Norbert estaria cheio, com filas, e fui naquele que estive em 2017, mas não tenho certeza se foi o mesmo. Enfim, almocei no Velka Klasterni um goulash … Pão e carne cozida com bastante molho e aquela raiz azeda. Tomei 2 cervejas e não sei por que o garçom veio encerrar minha conta sem eu pedir … Azar dele, pois ia tomar mais uma cerveja, ah, os 10% já estão inclusos na conta. Deu 482 krones, mas acabei deixando 490. Já era 13:44.

Não queria subir mais nada de morro, desci por aquele caminho maravilhoso das vistas da cidade, passei pela torre, pelo bondinho, e fui descendo, saindo exatamente na mesma rua pela qual fui. O que queria era achar um mercado e comprar umas cervejas, nada encontrei, só perto do hotel achei um chinês … Não deu nota para 5 Staropramen (24 krone), Coca (28), um queijo (24), bolacha salgada (18) e uma bolacha recheada com goiabada (12), resultando em 202. Isso já era umas 16 e pouco! Vim pro hotel pensando em sair pra jantar … Tomei banho, tomei umas cervejas, deitei-me umas 17 e acordei mais de 20:30! Nem saí, fiquei no hotel comendo bolacha com queijo, cerveja, whiskey e vodka com coca. Agora 00:25! Chega por hoje!

Praga, 29/05/2019

Devo ter chegado antes de 20h25 em Praga vindo de Zadar, Croacia, porque até passar pelo controle de passaporte e chegar no saguão para trocar euros por coroas, eram só 20:33. Fui até o balcão do transporte público e comprei dois tickets de ônibus/metrô por 24 krone cada. A surpresa nesta chegada é que agora existe um ônibus expresso custando 60 krone do aeroporto até o ponto final na estação central de trem. Os tickets que comprei não serviram para este expresso, tive que comprar com o motorista, e já eram 21:03. Muita gente … muito apertado.

Acho que levou mais de uma hora para chegar. Na estação central (Hlavni Nadrazi) pegaria o metro C em direção a Haje, desceria na Muzeum para pegar a linha A na direção Nemocnice Motol, descendo em Mustek e de lá, por fim, a linha B na direção de Zlicin, descendo em Karlovo Namesti. Achei que daria conta do recado, era só seguir em frente na namesti e dobrar a direita para achar a rua do hotel, entretanto, me embrenhei numa escadaria e fui parar em ruas escuras e estreitas. Tive que parar e pedir informação para uma moça e um rapaz que fumavam numa das esquinas. Ela foi muito solícita, e falando num inglês brutal que nem o meu, conseguiu me explicar como chegar ao hotel, depois que eu disse ser ao lado de uma igreja!

Hotel U Svatého Jana Praha 2 – Nové Mesto, Vysehradska 28.

Bom, cheguei quase meia-noite. O recepcionista complicou um pouco não sei exatamente por que, achei que era o meu nome que ele não encontrava, ou o visto que estava na última página, sei lá. Pensei em sair e ir comer alguma coisa, mas desisti, arrumei as coisas, tomei banho, comi o chocolate que tinha, mais um amendoim, e deu. Fui dormir bem tarde.

Zadar – último dia

Quis acordar às 8, mas o sono não me deixou e acabei deitando-me e dormindo até 9:20; desci com tudo pronto para tomar café e depois fazer o check out, perto das 10. Ainda avisei na Recepção que no meu quarto estava pingando água do forro, justamente porque foi a simpática moça que me recebeu quando cheguei.

Saí não muito depois de 10 horas, já pensando por onde ir e almoçar, quero ir pro aeroporto bem cedo. Andei pelo Sea Organ e Greetings to the Sun, pra lá e pra cá até a hora de almoçar, sabe aonde? no gostoso Konoba, mas estava com problemas, tive que aguardei por menos de meia hora tomando uma cerveja big one. Comi uma carne cozida com arroz e molho, bom, gostei, mas não comi todo o arroz, ajudou bastante a salada mista. Paguei 176 kuna mais a gorjeta de 14 pra completar 190 kunas, pois não tinha mais kunas. Pela nota, paguei a conta às 13:39.

Depois do almoço, era caminhar levemente até a hora de pegar o ônibus pra ZAD. Fui no parque em frente ao grandioso portal de entrada da cidade, umas belas fotos do alto, fiz um caminho de volta por outras ruelas, outros pontos interessantes a fotografar. Zadar foi diferente porque trata-se de cidade pequena em população, mas não de turistas. A área geográfica também não é tão grande, o que reduz significativamente as caminhadas. Nada de ônibus. Tudo feito a pé. Como tenho visto na maioria das cidades da Europa, é incrível a quantidade de crianças, ali pelos 8 ou 9 anos, até adolescentes, que saem em turmas das escolas para visitar os pontos históricos, os museus. Muita criança, mas muita criança mesmo vi por esses dias! Andando, andando, as horas passaram.

Voltei ao Hostel Forum, peguei minha mala e fui pro ponto de ônibus, aquele mesmo em que eu já estava na Cidade Velha e queria ir pra lá! O ônibus só saía às 16, tive que esperar mais de meia hora … Os horários são bem ecléticos, mas acho que por causa do horário dos voos, já que é um aeroportozinho (aeroporto pequeno) … Pequenininho! Paguei a passagem pro motorista às 15:54, leva uma meia hora até o destino.

O voo saía as 18:55, um bom tempo de espera, mas foi fácil, agradável, tranquilo e deu tudo certo, resolvido!