Londres

06/06/2019
Não tomei café no hotel ibis Styles Kensington porque dormi até bem tarde, sei que saí do por volta das 13h. Procurava um lugar para comer, já que não tomei o café no hotel. Achei o Il Posto Restaurante Italiano na Vauxhall Bridge 316a, fique um pouco receioso de entrar, mas finalmente entrei, porque tinha aquelas libras todas no bolso pra gastar. Pedi uma salada mista e um negócio que achei que era carne, mas era filé de frango com macarrão. Ok,es tava muito bom, juntamente com as 3 cervejas (33 cl) que tomei. Por volta de £ 3 a cerveja, boa, italiana, long neck. Gostei. O cara do restaurante, um italiano, gente fina, disse que tem um parente que mora em Copacabana … Agradeceu em português, obrigadinho! Aí fui pra Victoria Embankment, Cleopatras Needle’s e mais além, mas não muito. Parque Saint James, Waterloo Bridge. Peguei o metro em Temple station até Earl’s Court, fui no Sainsbury’s nas proximidades do hotel. Comprei rum, suco, salada de frutas, sanduíche, chocolate, cerveja. Fui dormir, mais de 2:30 pensando como Londres é maravilhosa.

07/06/2019
Hoje não ia acordar cedo mesmo, coloquei pra despertar às 9 pensando em tomar café, mas o sono era muito e fiquei até … a infeliz da governanta bater na porta do quarto ! Caralhos, meu check out era só ao meio-dia! 10:20 fui lá, tomei banho, escovei dentes, fiz barba, etc e tal. Às 11:30 desci pro check out e fui pra Earl’s Court, jamais esquecerei … As moedas velhas não valem nada … Comprei o ticket de metro e fui pra Victoria Station debaixo de chuva, fina, mas chuva. Ah, tá! Sobrou rum e suco, misturei tudo na garrafa do Bacardi Carta Blanca e enfiei na mala. Tá, peguei o metro, desci na Victoria e fui procurar Il Posto. A chuva ora afinava, ora engrossava, mas achei, entrei e pedi uma carne … Tinha um pão embaixo e alguma coisa parecida com patê por cima, mas comi, só deixei a batata que está me enjoando. Paguei £ 36 e saí atrás da National Express pra comprar passagem pra Luton, dei um monte de voltas, com chuva no lombo, até que achei o lugar pra comprar, às 14 pra Luton. Agora, o problema era achar a Coach Station. Ontem dei um milhão de voltas e sempre acabava nela, hoje que preciso, não faço nem ideia onde a maldita se encontra, mas fui fundo, perguntei a uma mulher que me disse: rigth down, misericórdia, o que seria isso? Enfim, achei. Paguei £ 14 no cartão pelo ticket e fui pro portão 10. O horário de 14:00 se transformou em 14:20. Ok, finalmente saiu. Chegou no aeroporto de Luton às 16. Dei uma volta, achei o banheiro, achei a informação do ônibus, fui pro lugar, T se não me engano, paguei £ 1,50, a nota de £ 5 que tinha não valia mais e fui … O ônibus tava lá quase saindo. A merda é que não falei pro motorista, como a bilheteira me dissera, que desceria nos hotéis. Boca aberta, como sempre, vi o ibis passar … E não fiz nada; ele continuou e foi pra estação do ThamesLink, aí que fui falar com o motorista: return to ibis hotel? O amigo me deixou ficar no ônibus e me deixou na parada do ibis. Hotel bom, moderninho, super atencioso. Subi pro quarto 383, no elevador um francês pediu desculpas por ter falado francês e não inglês, como se eu tivesse entendido. Ele era da França, eu disse que iria para Reikjavik … E só! Bom, depois de ter escrito tudo isso, agora são 19:05, vou descer pra comer e beber algo no restaurante do hotel. Seja o que Deus quiser! Comida ótima, gostei, até repeti os onion rings, deliciosos. £ 28,95, a Guiness pint por £ 5,25 cada! Fiquei enrolando mais um pouquinho por ali e logo subi pro quarto. peguei no sono jogado sobre a cama … Eram mais de 2 horas da madrugada quando acordei meio assustado! Demorei pra dormir por causa dos travesseiros, que odeio, e por respirar somente pela boca, o que me deixa com ela completamente seca. Mas dormi, graças a Deus!

08/06/2019
Acordei às 11 horas. Ao meio dia em ponto saí em direção ao terminal Luton pra medir o tempo necessário de caminhada – exatamente 10 minutos! Que ótimo. Assim, não precisarei madrugar mais do que faço em Curitiba! Embarque começa às 6:20, então, deverei estar lá até 5:30, no máximo. Deixar tudo pronto e sair do hotel às 5!
Levei mais 10 minutos pra voltar, vento frio, alguns chuviscos. Descobri que o restaurante só abre às 18. Fui comer alguma coisa do bar, pedindo caesar salad e uma cidra, que nunca tinha tomado. £ 9,85. Perto das 14 subi pro quarto, mas o cartão magnético não funcionou e tive que descer. Bom, são 15:19… Vou arrumar tudo, escrever, quem sabe meu artigo e dar uma olhada em Reykjavyk na internet
21:28 – não escrevi artigo nenhum, nem coisas da Islândia na internet. Simplesmente arrumei minhas coisas todas, tomei banho e desci pra jantar mais ou menos 19:30. Comi o mesmo peixe com arroz de açafrão, ervilha e brócolis, onion rings e duas Guinness. Paguei a conta de £ 26,20 mais 1,50 de gorjeta. Subi 20:33. Deixei o relógio pra despertar 4:30 pra conseguir chegar às 5 no terminal. Acho que ta tudo pronto! Sobraram £ 30 e uns quebrados; £ 15 antigas e sem valor das viagens anteriores. Tudo bem, sou a cara da riqueza! Expectativa para amanhã!

09/06/2019
Acordei 4:30. Fiz o que tinha que fazer, saí do hotel por volta de 5:15. Cheguei bem a tempo de fazer tudo. Não teve passaporte e na fila do drop bag a moça mandou eu ir direto pro raio x sem despachar mala. Voo atrasou 30 minutos, saindo 7:20 de Luton.
Não marquei as horas em que as coisas aconteceram, pousamos 9:51 de Londres, 8:51 de Reykjavik. Passaporte, ok, tudo muito rápido, mais um carimbo. Troquei £ 30 que sobraram e € 150. No total fiquei com 23.408 koroas islandesas. Eram 9:13
Fui parado pelos customer, me pararam quando saí do banheiro, procurando pela GrayLine. Pediu para acompanhá-lo, de onde eu era, de onde vinha, o que fazia, quantos dias ia ficar, pra onde ia depois, passou a mala no raio-x, pediu para eu abri-la e revistou item a item, tudo, não deixou passar nada. Havia um superior a quem se reportava, e entendi que disse que vim sozinho e só. Fiquei esperando mais uns minutos, respondendo que trabalhava numa cooperativa médica, estava em férias de 30 dias, ficaria 4 noites e seguiria para a Espanha de onde voltaria para o Brasil. Agradeceram e me liberaram, sei lá uns 20 minutos.
Agora vou atrás da GrayLine. No balcão de informação me indicaram a mulher de colete amarelo, verde, não lembro. Falei com ela que pediu-me pra voltar ali dentro de 30 minutos. 10:02 fui lá, e ouvi outra moça perguntando pelo ônibus, simplesmente fiquei esperando pra seguir ela, e no fim eu que acabei mostrando o caminho. A vergonha dessa vez é que não entendi bulhufas do que a guria da Gray me perguntava, acho que ele queria saber pra onde eu ia, sei lá, fiquei quieto que nem uma múmia por não conseguir processar o que ela falou. 10:30 partiu em direção a cidade, até o terminal da GrayLine, na área do porto, onde descemos e ocupamos 3 vãs em direção aos respectivos hotéis. Demorou um pouco pra me colocarem numa das vãs. Saímos pouco depois de 11:20. Passei mais uma vergonha por não entender o que o motorista disse: eu já estava praticamente na frente do hostel e continuava sentado e atado ao cinto da van, quando ele voltou com minha mala e perguntou se eu não ia pro hostel! Que vergonha! Andei uns 30 metros e dei de cara com a porta amarela, digitei o código enviado por e-mail, subi as escadas, deixei a mala num canto e saí pra andar no sentido no qual a van viera, margeando a água, a baia, sei lá. Passei pela Harpa, e segui até um pouco mais, voltando em 30 ou 40 minutos.

Vi vários restaurantes no caminho, mas acabei ficando num do lado do Centric, o Jómfrúin. Por dois meio sanduíches paguei € 26,11 e € 10,55 por cada cerveja local de 0,4 l. Em boa koroa islandesa isso dá 7.610 e ainda a verificar se não incluiu a gorjeta de 754 porque não fiquei com a via do cartão. Eram 14:42. – não, a gorjeta não foi cobrada!
Fui pro Centric. Com o código entrei, peguei as chaves, um mapa e um jornal, subi pro 3° andar. Arrumei as coisas e me deitei por algumas horas! Até às 20, mais ou menos. Saí novamente, na direção oposta de Harpa, num parque muito bonito, um belo lago, patos, cheio de gatos, museu de arte, uma igreja, contornei o lago e saí na prefeitura, aquela da foto com a pedra. Continuei caminhando na rua do comércio mais movimentado, passei próximo da igreja do vulcão e voltei. Já perto do Centric entrei num bar, sentei e fiquei esperando, como não vinha ninguém atender, saí e dei de cara com o mercadinho, onde comprei lasanha, pepsi, dois muffins e um suco pro café amanhã, pagando a bagatela de 2.495 krones. Esquentei no Centric, já que tem uma cozinha com microondas, geladeira, mesa, cadeiras, cafeteira – Centric é muito banaca, perto de tudo, bem localizado; uma grande surpresa que gostei muito e recomendo. Já passava de 22:00. Tomei banho e continuo aqui a escrever, são 00:37.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s